ARTIGOS


CONTRATEI UMA SECRETÁRIA SÓ PARA RECLAMAR

Devido ao imenso volume de problemas, as confusões e o péssimo atendimento de diversas prestadoras de serviços que atuam no mercado, contratei uma secretária somente para “Reclamar” e tentar resolver os problemas que elas criam junto aos seus clientes (no caso aqui eu)... Mas, acredito, com certeza, também vai servir para você.

No início ela ficou um pouco confusa e não entendeu bem qual seria a sua função, então expliquei com bastante calma, que ela iria apenas “Reclamar” para as empresas que prestam um péssimo serviço.

Ela achou que seria fácil, mas achou estranho quando coloquei em sua sala durante 30 minutos pela manhã uma Professora de Yoga, a qual lhe dava aulas antes dela iniciar o trabalho.

Ela também achou um pouco estranho quando, em sua mesa de café, tinha apenas chá de erva cidreira e imagens de alguns Santos.

O trabalho de Terezinha começa... A primeira tarefa: tentar cancelar uma linha telefônica de uma operadora de celular... Depois de ter de repetir o caso para mais de 8 (sim, oito) atendentes dessa empresa, pois, no meio de cada atendimento, cerca de uns 20 minutos depois de tudo explicado para o atendente a linha ficava “muda” (como se tivesse sido desligada de propósito) e ela tinha de começar tudo outra vez.

Falar com oito atendentes, por 20 minutos cada, e não resolver nada, fez com que ela gastasse muitas horas e tivesse muita paciência. Ela resolve, então, ir a uma loja da empresa de celular, e lá é informada que este procedimento somente pode ser feito via central de atendimento telefônica, a mesma com a qual que ela tentou por telefone.

Terezinha começou a entender o motivo da Professora da Yoga...

Segundo dia de trabalho: solicito a Terezinha que resolva com um provedor de internet, pois um Banco de Dados vem sendo debitado em minha conta sem nenhuma requisição de nossa parte.

Simples, pensa ela, “esta eu resolvo pela internet”. Só que o username foi mudado e não se tem mais acesso aos serviços do provedor. Quem mudou? Ninguém sabe! E lá vai Terezinha ao atendimento telefônico e descobre que nem tudo é tão simples no mundo do “clique aqui”... E, finalmente, Terezinha é informada que para recuperar o username, tem de fornecer o username (detalhe: só que não temos mais o username que foi mudado por alguém)... Lá se vai quase mais um dia e ela, resolve aproveitar seu horário final de trabalho para tentar resolver lançamentos inadequados na conta da TV a cabo, apesar das horas extras nesse dia, o problema ficou sem solução.

Terezinha percebe que só a Yoga não ia ajudar, o chá de erva cidreira agora também já era necessário.

Em seu terceiro dia, lá vai ela retirar um de nossos veículos em uma oficina onde o problema era de suspensão e o “cidadão” trocou a caixa de direção, complementando ainda dizendo que os problemas que não conseguiu resolver: “são assim mesmo”...

Logo depois ela tem de cancelar uma compra realizada numa loja de decoração que recebeu o sinal, mas não entregou a mercadoria... Depois iria levar de volta ao conserto, pela terceira vez, duas TVs, que estavam na garantia...

Terezinha começa a perceber que as imagens dos Santos também seriam necessárias.

Chegou o dia de uma longa viagem e passei a lista de reclamações que ela teria de fazer durante o mês.

Neste dia Terezinha descobriu a importância dos calmantes em sua caixa de primeiros socorros no escritório. Ela teria de reclamar com um Banco (daqueles que investem fortunas em publicidade para conquistar clientes e depois que conquista não investe nada para tratar o cliente com o mínimo de respeito); A propaganda é boa para a conquista do cliente, porém o atendimento é muito ruim, pois tudo lá virá um protocolo de Reclamação e nada é resolvido. Logo depois tenta resolver problemas de ligações e débitos estranhos em nossas contas junto a uma empresa de telefone fixo...

E tudo isto no disque 1... disque 3... disque 4... disque 5... disque 666... disque...

Terezinha deixou o emprego depois de 20 dias e nunca mais ninguém ouviu falar dela. Dizem que agora vive isolada, longe de tudo e todos: ela não pode nem ouvir falar em empresa de telefonia celular e fixa, central de atendimento bancário, oficinas de carros, caseiros, provedores de internet, etc.

A vaga da Terezinha ainda está vaga e nem posso pensar em pedir que ela volte, pois não tenho ninguém para Reclamar...

Todos que abusam dos consumidores continuam livres, leves e soltos, batendo recordes de faturamento.

Estou tentando implantar uma nova tecnologia: uma central para Reclamar automaticamente, assim como as das empresas que nos causam tantos transtornos e irritações, sem resolver o que lhes é solicitado.

Enquanto a tecnologia não vem, vou montando um departamento só para Reclamar, com várias pessoas: quem trabalha 8 horas, descansa 16 e ainda ganha insalubridade, pois suportar esta máfia dos atendimentos faz mal à saúde.

Fica a impressão que esses atendimentos são planejados para que as pessoas desistam de Reclamar e se acostumem com o fato de serem enganadas e usadas para engordar o faturamento. O negócio de prestar um péssimo serviço a um custo elevado dá muito lucro e não tem represália.

Enfim, Reclamar para quem?

Cesar Romão
www.cesarromao.com.br
2008 © Copyright
Registrado conforme Lei nº 9.610/98

Imprimir Comente Enviar este artigo


volta