ARTIGOS


DOIS MIL ANOS DE NATAL VALERAM A PENA?

      "Bom Natal, um feliz Natal, muito amor e paz pra você, pra você..."

      Essas palavras entoadas em músicas natalinas, ou apenas ditas, vêm vindo ao longo desses dois mil anos, por todos os cantos do mundo, lembrando um dia mágico na vida daqueles que têm fé em Cristo.

      Enternecem, como um dia de trégua, os corações mais endurecidos; desculpam, como um dia de perdão, aqueles que os nossos olhos condenam; libertam, como um dia de indulto, aqueles que estão aprisionados; entusiasmam, como um dia de esperança, aqueles que estão bradando por uma chance; brindam, como um dia de alegria e brilho, aquelas crianças que anseiam por abrir seus presentes; motivam, como um dia para dar e receber; emudecem, como um dia de silêncio nas trincheiras de guerrilha, aquelas balas que têm de aguardar o calendário passar por este dia; celebram, como um dia de caridade e bondade; enfim, como um dia para tantas outras coisas... comer, beber, orar, festejar, mas, tudo isso em memória ao Aniversariante.

      Não há no mundo um aniversariante como Este, que mobilize tantas atitudes e emoções num só dia.

      Ah! O Espírito de Natal!

      É assim que esse movimento é chamado: um Espírito.

      Algo que pode tocar qualquer pessoa, sem exceção, e percorrer livremente pelo planeta e refletir no Universo. Um Espírito tão poderoso que ao ser invocado, varre o planeta numa contagiosa sensação de união.

      É um Espírito que ao ser chamado atua pelas nossas mãos e mentes pelo poder em Cristo. Deus é o Ser mais supremo que existe no Universo, mas Ele age através de nós e foi por isso que nos criou à sua imagem e semelhança.

      Ao longo desses dois mil anos, invocamos esse magnífico poder do Espírito de Natal, apenas duas mil vezes, e só uma vez a cada ano, no dia 25 de Dezembro.

      Talvez isto explique ainda tanta diferença e dificuldade entre as pessoas e nações ao se relacionarem, assim como encontrarem uma saída próspera para seus problemas internos nas mais diversas áreas. A falta de amor em nossos corações é o maior motivo de tanta discórdia, falta de piedade, caridade e por isso vemos poucos rostos com sorrisos em meio a tantos que choram.

      Vem cá, agora! Tô dizendo agora... Volta lá atrás... No ano passado... Naquele momento de 24 dezembro, pouco antes da meia noite, quando você uniu sua família, seus amigos, pediu perdão, pregou a paz, fez promessas, se emocionou, chorou, abraçou a todos e fez uma profunda reflexão sobre sua vida, fez caridade, deu presentes, tudo isto para homenagear o Aniversariante e chamar o Espírito de Natal... Volta lá! Volta lá, eu espero...

      Viu que pessoa maravilhosa você se tornou naquele momento?

      É! Você estava uma pessoa especial, com um brilho especial!

      Você pediu o auxílio do Espírito de Natal e ele o ouviu, mas ele atende apenas aos que o invocam...

      Ah! Você não viu nada especial?

      É uma daquelas pessoas que comeu, bebeu, dormiu e agradeceu o feriado? É uma pena! Mas ainda haverá muitos outros momentos como aquele, inclusive este ano, para você aprender a invocar o Espírito Natalino...

      O momento requer um ambiente propício para assimilar um conhecimento, e eu faço questão e insisto em te levar para aquele momento do último dia 24 de dezembro, pouco antes da meia-noite, porque era ali que estava a verdadeira imagem de seu reflexo como ser humano, de pessoa ligada ao Universo.

      Quero que você veja que ali estavam seus verdadeiros sentimentos de amor em querer abraçar seu filho apesar de toda "filharada" que ele fez contigo; ali estava uma pessoa querendo se reconciliar com a esposa pelo desprezo e incompreensão que cometeu; ali estava a pessoa que não pretendia perder aquela amizade...

      É! Ali estava você! Aquela pessoa era você sim...

      Somos filhos do Universo, assim como uma criança chama pela mãe e pelo pai, na hora de dúvida e perigo, devemos aprender também a elevar nosso pensamento ao Pai Celestial que é só assim que ele nos ouve.

      Ele mesmo disse isto, ao nos ensinar sua Oração Maior: "Pai Nosso que estais no céu..."

      A Criação do Espírito de Natal é um momento mágico do Criador. Ele nos ensinou a chegar além neste momento e nos unirmos em torno de um ideal, mas... o que Ele não esperava é que fossemos usar, nestes dois mil anos, apenas duas mil vezes, uma vez ao ano, esta Energia transformadora.

      - dois mil anos de Natal valeram a pena?

      Toda vez que estiver pela rua e encontrar alguém com fome, estenda a mão, ampare, pense que é Natal...

      Toda vez que sentar-se à mesa com alguém, faça disso uma confraternização, celebre, pense que é Natal...

      Toda vez que seu filho enfrentar sua autoridade, criar aborrecimentos, der um "chá-de-filho", abrace-o, pense que é Natal...

      Toda vez que seu amor se mostrar indiferente, intransigente, incompreensivo, perdoe-o, pense que é Natal...

      Toda vez que um amigo lhe desprezar, lhe trair a confiança, mesmo assim agradeça por esta amizade, ame-o, pense que é Natal...

      Toda vez que perder a esperança em seus sonhos, renove-se, pense que é Natal...

      Toda vez que a dor de uma doença lhe afligir e for maior que sua resistência, encontre força em Cristo, recupere-se, pense que é Natal...

      Toda vez que a saudade de um ente querido surgir e as lágrimas molharem o seu rosto, imagine-o a seu lado, sorria, pense que é Natal...

      Toda vez que seu pedido não for atendido, coloque-o debaixo de uma árvore, acredite, pense que é Natal...

      Toda vez que um noticiário de jornal abalar suas emoções com tristezas e injustiças, una-se aos bons pensamentos para fazer o bem, energize-se, pense que é Natal...

      Toda vez que diferenças sociais, econômicas e políticas afastarem você de alguém, aproxime-se, pense que é Natal...

      Toda vez que pensar que seus pais são atrasados e nada sabem sobre você, beije-os, pense que é Natal...

      Toda vez que seu coração se encher de revolta e indignação, volte seus olhos ao Senhor, ore, pense que é Natal...

      Toda vez que quiser se aproximar de um amigo, ofereça-lhe um presente, doe-se, pense que é Natal...

      Toda vez que procurar desculpas ou culpados para seus próprios pileques emocionais, converse com o Senhor, pense que é Natal...

      Vamos lá! Você pode! Você sabe que pode. Lembre-se, você faz isto uma vez ao ano, naquele momento...

      Desenvolva a competência humana de invocar o Espírito de Natal a cada momento de sua vida até que ela se torne um hábito.

      Sua vida não é feita de destino, é feita de escolhas e decisões.

      Fazer do sentimento de Espírito de Natal um hábito é uma escolha que fará muita diferença em sua vida e uma decisão que não vai transformar o mundo, mas fará algo muito maior, pois encherá de dignidade o espaço de vida que você ocupa.

      Sei que ainda não estamos no Natal, mas como escolhi e decidi fazer do Espírito de Natal um hábito, lá vai:

      - Amo você, feliz Natal...

Cesar Romão
www.cesarromao.com.br
2005 © Copyright
Registrado conforme Lei nº 9.610/98

Imprimir Comente Enviar este artigo


volta