ARTIGOS


SOMENTE TARZAN GANHOU A VIDA NO GRITO

      Nem mesmo Mike Tyson conseguiu continuar ganhando a vida na porrada e virou antropófago para sobreviver.

      Uso este exemplo violento apenas para deixar bem gravado que as coisas estão mudando muito rapidamente e temos de nos adaptar às mudanças.

      Nos dias de hoje não basta querer vencer, é necessário se preparar para vencer.

      Para isso precisamos nos tornar um verdadeiro líder de nós mesmos, ou nos aliarmos a um verdadeiro líder existencial e empresarial.

      Andrew Carnegie, o magnata do aço do EUA, tinha 40 milionários trabalhando para ele, e as pessoas lhe perguntavam, como ele conseguia empregar milionários e fazê-los trabalhar em sua empresa. A resposta era sempre a mesma:

      - "Eles não eram milionários quando eu os contratei. Simplesmente exerci meu poder de liderança e os tratei assim como faz um garimpeiro em busca de ouro. Peguei cada um deles, tirei a terra, até descobrir o ouro que cada um tinha dentro de si e aí os transformei em milionários".

      A origem da palavra "líder" é derivada do inglês leader, baseada no mesmo material de que são feitas as balas, o chumbo. Naturalmente o termo líder popularizou-se ao mesmo tempo que a invenção das armas de fogo. Surgiu da observação de que a pessoa responsável em todas as empresas era aquela a quem todos queriam encher de chumbo.

      Muitos líderes fizeram muita coisa idiota, para defenderem seus liderados, como as muralhas da China, por exemplo, que ao invés de proteger o país, terminou por escondê-lo do mundo, e quando os inimigos viram que era praticamente impossível invadi-la pelas paredes, começaram a entrar pelas portas, simplesmente subornando os porteiros com pares de sandálias.

      Acredito que a única definição de líder é a de alguém que possui seguidores. Algumas pessoas são pensadoras. Outras são profetas. Os dois papéis são importantes e muito necessários. Mas, sem seguidores, não existem líderes.

      Muitas pessoas ainda confundem um executivo de alto nível com um líder.

      O líder autêntico cria estratégias, determina a direção na qual a empresa deve avançar e consegue fazer com que seus subordinados o sigam, por estarem convencidos da validade de suas idéias.

      E, com o ritmo de mudanças cada vez mais vertiginoso, a demanda por líderes capazes de melhorar o sistema será crescente.

      A maioria das empresas investe 80% de suas ações para enfrentar mudanças de gerenciamento e apenas 20% na liderança quando, na realidade, deveria estar investindo para que cada colaborador fosse capaz de transformar-se em seu próprio líder.

      A liderança global, vista como processo, associa-se à criação de uma visão do futuro e uma das características que diferenciam os grandes líderes das outras pessoas é que, qualquer que seja o potencial inicial, eles continuam a desenvolvê-lo ano após ano, momento após momento.

      Cada vez mais a liderança nas empresas não é exercida por uma única pessoa, ela deve vir de muitas pessoas. As empresas hoje estão muito complexas e o ambiente está se transformando rápido demais, para que apenas uma pessoa possa liderar toda a organização.

      Exercer a autoridade pode ser suficiente em épocas de estabilidade, mas para um ambiente em constante transformação, é preciso haver liderança. Quando mudam as regras que determinam estruturas, normas, valores, processos e sistemas, procura-se quem possa dar o rumo para a empresa e fazer com que seus colaboradores descubram qual é a nova visão e a levem adiante.

      Se você está em busca de líderes, fuja, corra, faça o sinal da cruz para a burocracia, pois se alguém estiver enterrado nas profundezas de uma imensa burocracia, será muito difícil transformá-la em líder.

      Um líder nesses novos tempos não deve ser um protetor e sim um guia que ajude os outros a superar as dificuldades, motivando-os.

      Gosto do líder mediano, porque o líder que se move muito rápido pode tomar um coice e o líder muito lento não prepara as pessoas para enfrentar desafios.

      O líder mediano vê no conflito uma valiosa fonte de novas idéias e ao invés de reprimi-lo, ele o controla e vence junto com sua equipe.

      Antes de se praticar a liderança global, tem de se praticar a liderança pessoal, a liderança de suas próprias vidas, de seus próprios mundos e seus próprios sonhos. Afinal para sermos recebidos como cacique em outra aldeia, temos primeiro que sê-lo na nossa própria.

      Nos dias de hoje a vida não é ganha no grito como fez Tarzan, ou mordendo orelhas como Tyson, mas com capacidade de liderança, assim como Jesus.

Cesar Romão
www.cesarromao.com.br
2005 © Copyright
Registrado conforme Lei nº 9.610/98

Imprimir Comente Enviar este artigo


volta