ARTIGOS


LÍDERES DE HOJE – VENCER OU SER VENCEDOR?

Ultimamente tenho ouvido muitos profissionais querendo saber sobre os líderes de amanhã e como devem prepará-los.

Eu, particularmente, acho que não existem líderes de amanhã, mas sim líderes de hoje, pois amanhã pode já ser tarde.

Acredito que um líder não deva mais ser seguido apenas pela função que ocupa: ele deve ser seguido porque as pessoas acreditam em suas idéias e nos benefícios que elas podem trazer ao grupo.

Liderar não é mais ordenar, é criar oportunidade e deixar a equipe ser inteligente em grupo, obter resultados em conjunto, além de ser uma fonte de inspiração.

Creio também que, em nossa sociedade, esses líderes terão um papel especial para incentivar novas aventuras nutritivas em diversas direções, ressaltando que uma liderança se não tiver o amparo espiritual pode ser uma liderança que conduzirá para ações no caminho da ausência de luz.

Acho que todo líder, para estar bem preparado, tem de procurar inserir a espiritualidade em seu coração, somente assim ele será um líder justo, podendo auxiliar na construção de uma sociedade cada vez mais evoluída.

Digo sempre, em minhas palestras, que o líder ideal é aquele que lidera pelo exemplo, pois a ordem pode ser contestada, mas o exemplo arrasta e convence.

Por causa dessas diferenças acabam sendo confundidas algumas expressões como: vencer ou ser vencedor.

Em meu site, existe uma série de artigos publicados aos quais chamo de O Segredo dos Vencedores, onde falo muito sobre o fato de vencer.

Vencer tem significados diferente para pessoas diferentes.

As vitórias, por outro lado, tem sabor diferente para pessoas diferentes.

O que é remédio para um, muitas vezes é veneno para outros.

Quantas pessoas terminam vencendo e, quando estão com a vitória nas mãos, percebem que ganharam um tremendo problema?

Quantas organizações crescem e, quando estão lá no topo, despencam?

Quantas pessoas ligam sua felicidade ao fato de vencerem e possuírem coisas, que são para ela seu verdadeiro troféu da vitória, e terminam perdendo outras coisas mais valiosas?

Pessoas de negócios vencem na profissão e fracassam no amor. Pessoas executivas vencem na organização e fracassam com os filhos. Artistas conquistam vitória e atingem a fama, mas não conseguem a felicidade e atiram-se às drogas, vamos relembrar o Rei Elvis Presley, entre muitos outros ídolos.

Quando se conseguiu vencer, e todas as vitórias estão aos pés, algo acontece, e se percebe um imenso buraco negro ameaçando levar tudo e nos deixar apenas a depressão, a tristeza e o sentimento de nos perguntar: Porque não sou feliz?

Nossa vida é cheia de batalhas. Já nascemos vencedores na corrida dos espermatozóides, mas as batalhas continuam, algumas vitórias não bastam. É como no casamento: para ele ir bem só o amor não basta.

Até hoje não conheci ninguém que se julgasse uma pessoa vencedora e com vitórias em tudo aquilo que realizou.

Só aquilo que é real é verdadeiro.

Vencer e vitórias, ainda, estão muito no campo do irreal, no campo do “possuir coisas”. É necessário transcender este fato.

Vencer e vitórias ainda são elementos muito ligados a conceitos da história humana antiga, onde batalhas e disputas faziam a diferença entre o melhor e o pior, enaltecendo o ganhador e desprezando o perdedor.

Chegamos a ponto de lembrar do primeiro, e sequer nos esforçarmos para lembrar do segundo. Nosso querido Rubinho Barrichello tem mantido uma liderança absoluta do segundo lugar, assim como o canal de TV SBT. E que mal há nisto? Eis um esforço de vitória, mas como ainda não se é o primeiro, as críticas não são poupadas.

O pódio é um lugar egoísta, assim como o quadro do Funcionário do Mês que algumas organizações utilizam como meio de reconhecimento e motivação.

Toda organização que incentiva vitórias solitárias enaltece e cultua a disputa e, no fundo, as pessoas ainda não estão preparadas para uma disputa. Terminam por remoerem seus antigos preceitos de discriminação emocional.

John Lennon na canção Imagine, tem uma frase que diz: não há inferno, não há céu... é só tentar imaginar...

Até no âmbito religioso o homem criou uma disputa entre Deus e o Diabo, para que uma vitória possa surgir.

Disputas são tendências humanas, válidas no esporte, onde a lição de competência e equipe pode ajudar as pessoas a melhorarem suas atuações de existência.

Vencer é tornar-se uma pessoa que coloca dignidade no seu espaço de vida, servindo de bom exemplo e inspiração para outras pessoas.

Vitórias são nossos momentos de alegrias, aqueles momentos em que Deus nos manda um recado, usando o sorriso de uma criança, uma palavra de esperança. São os momentos em que falamos com Ele.

Tudo aquilo que você pode perder, tudo aquilo que o mercado pode levar de alguma maneira, não é um sinal que você venceu, não é um sinal de vitória, mas sim um sinal que você viveu.

Tudo aquilo que ninguém nem nada possa lhe tirar, é ali que você venceu, é ali que suas vitórias residem.

Eis a importância do amor, da ética, da fé e da espiritualidade em nosso desejo de vencer e desfrutar vitórias.

Eis aqui a importância e o caminho para ser um líder hoje, espiritualizado e em sintonia com sua equipe, disposto a vencer suas dificuldades e inseguranças, transmitindo o que sabe aos seus pares e aprendendo com eles, e buscar as vitórias ao lado de sua equipe.

 

Cesar Romão
www.cesarromao.com.br
2004 © Copyright
Registrado conforme Lei nº 9.610/98

Imprimir Comente Enviar este artigo


volta