ARTIGOS


MOTIVAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

Muitas vezes, meus leitores, ouvintes e as pessoas que participam de meus eventos fazem a pergunta: “Cesar, como funciona o poder da motivação nas pessoas?”.

Bem, acho importante, em primeiro lugar, explicar como me iniciei em pesquisas motivacionais para poder dar minha opinião. Minha primeira experiência na área foi em 1979, quando resolvi criar o Projeto Fábrica de Gente, o qual relato em meu livro Rota dos Vencedores. Nesta atuação minha pesquisa consistiu em motivar menores de rua e infratores para descobrirem uma nova vida através da reintegração à sociedade usando o trabalho como instrumento, criando assim uma empresa socialmente humanizada e lucrativa. Ao longo de 25 anos foram mais de 3000 meninos que participaram do projeto. Toda esta vivência com eles e outras que vieram depois me concedeu uma grande fonte de pesquisa e é a base para meus pontos de vista sobre motivação.

Por essas pesquisas posso dizer que nosso processo motivacional está muito ligado, em primeiro lugar, ao nosso sistema genético, pois fazemos parte de uma classe de mamíferos, e os mamíferos são os habitantes mais fáceis de serem desmotivados ou motivados. Basta notar que Elefantes passam a vida fazendo a mesma rota da comida até a água e quando um deles se perde da manada, corre sério risco de vida. Assim são as pessoas, extremamente fáceis de serem condicionadas por comportamentos preestabelecidos durante sua criação e vida adulta.

Entre todos os itens que podem motivar pessoas, apenas um deles se mostrou capaz de tornar-se permanente: pessoas motivam-se quando obtêm resultados, ou seja, quando as pessoas encontram eco naquilo que buscam, encontram também força em seguir num ritmo promissor que as deixa num estado de satisfação e felicidade.

Antes de se motivar pessoas, é extremamente necessário encaminhá-las em uma direção que possam transformar seu esforço em resultados positivos. Se fosse para descrever o funcionamento da motivação eu o resumiria assim: capacitar as pessoas com competências que as façam transformar seu esforço em resultados positivos.

Veja o talento das pessoas da mesma forma que a motivação. Quem possui um determinado talento tem de fazer dele um instrumento utilizável no dia-a-dia, mesmo se não houver porque. Talento é algo que precisa ser mantido através da prática, através do treinamento. É comum nas organizações de hoje notar-se o desperdício de Talentos, quando se coloca um profissional numa área totalmente adversa de sua capacidade e aptidão. Nestes casos dá-se início aos cemitérios de talentos organizacionais, com as criptas, de “aqui jaz um talento”... Para não se perder um talento, é necessário praticá-lo e para as organizações não perderem seus talentos, é necessário incentivá-los.

Então, assim como o talento, a motivação é outro fator a ser cuidado e posto em prática diariamente. Afinal, nós somos tão fáceis de ser motivados ou desmotivados. É comum que os segundos colocados em competição entrem em depressão, pois treinaram para ser o primeiro e chegaram em segundo. Uma compreensão que deve haver é em relação à motivação: ela nos coloca numa posição diferenciada em nosso interior, mesmo quando ainda não chegamos lá, a motivação continua nos endorfinando no campo do raciocínio lógico e emocional para tomarmos as melhores decisões e fazermos as melhores escolhas. A motivação pode tornar-se permanente no instante em que uma pessoa consegue fazer dela um estado de espírito onde possa transcender fatores externos, reconhecendo sua capacidade íntima junto à sua missão de vida.

Como exemplo de motivação, costumo mencionar o caso do Pelé. Durante toda sua carreira, enquanto sua equipe deixava o campo de treino, ele continuava ali por mais tempo, sempre treinando, a ponto de equipar as habilidades de suas duas pernas. A motivação de Pelé, pode ser constatada no filme Pelé Eterno, de Aníbal Massaini. Pessoas motivadas fazem sempre mais que os outros julgam ser o necessário.

Qualquer adversidade sempre nos traz um fio de esperança e, muitas vezes, quando chegamos ao fundo do poço, vemos que por lá existem andares ainda mais abaixo que o nosso e, nesses andares, estão pessoas em situações mais tristes e todas nos dizendo palavras de conforto. Elas possuem propriedade para isto, pois estão bem piores que você. Aí você verá que o poço não tem fundo: tem apenas um lugar onde você pode encarar frente a frente suas adversidades e encontrar forças para agir.

Pessoas altamente motivadas quando atingem o auge, perdem a motivação por um motivo simples: estavam preparadas apenas para vencer competições, desafios ou ganhar dinheiro, e quando conseguem sentem-se vazias, pois não conseguiram crescer como gente. Precisamos nos preparar profissionalmente, mas necessitamos nos preparar dentro de valores humanos, pois quando alguém chegar “lá”, somente conseguirá permanecer com base em valores humanos.

Aí você me pergunta: “Então, não existe sucesso?”. Costumo responder que sim, mas que é uma ilusão. Pessoas de sucesso não querem aquilo que os outros possuem, elas fazem de suas capacidades e aptidões o meio de conseguirem, eticamente, aquilo que as torne melhores como pessoas, profissionais e membros de uma sociedade. O sucesso pode ser resumido como os pequenos milagres que acontecem todos os dias: neste exato momento em algum hospital um médico está salvando uma vida; neste exato momento alguém está fazendo uma caridade. Fatos que ninguém pode tirar da história que beneficiam vidas isto, para mim, é sucesso.

Nossas adversidades são grandes, porque ainda somos pequenos diante delas. Normalmente, as pessoas mostram o tamanho de seus problemas ao seu Deus, quando deveriam mostrar o tamanho de seu Deus aos seus problemas. Prepare-se para crescer diante de suas adversidades: é assim que elas se tornam pequenas. Pessoas vencedoras são aquelas que fizeram do “difícil” uma ponte para o possível.

É no fogo que o aço encontra sua melhor forma e sua densidade mais resistente; é no calor e na pressão da terra que o carvão se transforma em diamante. O Criador é um jogador de xadrez e, muitas vezes, antes de nos ensinar o Xeque-Mate da Vida, Ele nos coloca em pequenos Xeques, para avaliar nossas habilidades.

Você pode estar em uma situação difícil agora, mas parabéns, pois ainda está no jogo da Vida! Então! Crie sua motivação, em cima de valores próprios e torne-se um novo profissional, e ser humano, fazendo dela o seu diferencial competitivo!

Cesar Romão
www.cesarromao.com.br
2005 © Copyright
Registrado conforme Lei nº 9.610/98

Imprimir Comente Enviar este artigo


volta